segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

A EETAD, a FAETAD e o reconhecimento do MEC

Uma pergunta que as pessoas sempre fazem para mim é: “A EETAD e a FAETAD têm o reconhecimento do MEC?” Por motivo profissional ou ministerial, elas desejam estudar numa escola credenciada pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC) do governo federal brasileiro.
Após alguns anos de pesquisa e consultas com pessoas ligadas ao MEC e a escolas com e sem esse reconhecimento, vimos o momento oportuno para anunciar a nossa posição oficial.


Para começar, o MEC só reconhece escolas que oferecem Cursos Superiores e não Cursos básicos ou médios, como são os cursos da EETAD. Sendo assim, apenas a FAETAD estaria qualificada. A nossa visão sobre este assunto tem os seguintes aspectos.




Vantagens do Reconhecimento do MEC





Uma é a finalidade profissional do aluno em estudar numa escola credenciada pelo MEC. Nesse caso, essa escola teológica pode oferecer cursos superiores, além da Teologia, em áreas como Pedagogia, Filosofia, Psicologia, Letras, etc., que o governo e o mercado de trabalho necessitam. Nessa escola credenciada, o aluno pode fazer esses cursos seculares num ambiente de caráter cristão.


Há também o prestígio que tal reconhecimento traz para a escola. Esse prestígio chama a atenção de prospectivos alunos e pode destacar a escola entre as demais.




Desvantagens do Reconhecimento do MEC





Muitas escolas teológicas, como a FAETAD, existem para preparar seus alunos para o ministério sacerdotal e não como profissionais da religião. O reconhecimento do MEC pode levar essas escolas a perderem seu objetivo ministerial depois de acrescentarem cursos seculares, como foi o caso de grandes universidades norte-americanas, como a de Harvard, a de Yale e a de Princeton.


O processo de obter esse reconhecimento é prolongado. Primeiramente, a escola tem que ser qualificada quanto à instituição de ensino, dentro dos padrões estabelecidos pelo MEC. Se atender a todas as exigências e for aprovada, recebe uma autorização para o seu funcionamento.


Quanto aos cursos, os currículos também devem ser aprovados pelo MEC, inclusive o da área Teológica, sendo que, o reconhecimento dos cursos, somente se dará após a avaliação do MEC, com conclusão da primeira turma, onde se terá o resultado quando da aplicação acadêmica, pela qualificação alcançada pelos concluintes, pelo processo de aprovação do MEC para ganhar o credenciamento.


Além disso, o processo de obter esse reconhecimento é muito dispendioso, pois, a escola, com suas dependências, tem que ser avaliada pela equipe do MEC e depois, adequar-se às exigências.


Muitas escolas tiveram que reformar, comprar ou alugar instalações para cumprir as exigências do MEC. Elas incluem um número específico de salas de aula com um limite de alunos em cada uma, uma biblioteca com um número mínimo de alguns milhares de livros, uma sala de informática com um número específico de computadores para pesquisa e aulas, e professores com nível de mestrado e doutorado, com salário adequado para o seu nível acadêmico. A escola também é responsável pelas despesas de cada equipe que o MEC envia para fazer vistorias e avaliações.


Com esse procedimento, o reconhecimento do MEC introduz a interferência do governo em assuntos da Igreja.


A escola reconhecida tem que submeter-se às normas que o MEC estabelece como o ingresso de alunos e a contratação de professores de qualquer religião, ou sem religião, não podendo haver qualquer tipo de discriminação. A escola perde a liberdade de governar-se nessas condições.


Numa das várias consultas que fizemos sobre o reconhecimento do MEC, fomos informados que esse credenciamento foi estabelecido à base de portarias e pareceres do MEC, não havendo ainda uma Lei que regularize o assunto. O Congresso Nacional não conseguiu ainda aprovar esse projeto de lei apresentado pelo MEC, pois, neste caso, em se tratando de instituições teológicas, envolvendo assuntos de religião, o assunto, para o MEC, se torna muito polêmico, visto a diversidade de religiões professadas no Brasil. Portanto, esse reconhecimento dado para escolas teológicas tem fundamento tenuoso e provisório.


Por esses motivos e outros, não vemos a necessidade de se buscar o reconhecimento do MEC. O lema e prioridade da EETAD e FAETAD continuará sendo “Treinando e aperfeiçoando obreiros e leigos para a Seara do Mestre”.


A FAETAD já tem seu convênio com a Global University das Assembléias de Deus dos EUA, uma das maiores e melhores escolas teológicas de ensino à distância, no mundo. Continuaremos fazendo o melhor possível para ajudar nossos alunos no estudo da Palavra de Deus e na obra que fazem para o Reino de Deus!


Fonte: EETAD EM REVISTA Nº 22 - NOV/06-FEV/07 - EDITORIAL

9 comentários:

Elízia Pereira Gomes disse...

Presados.
Se a diretoria da Faetad pudesse repensar no valor de ser reconhecda pelo MEC tendo uma grande oportunidade de estar qualificando nem só obreiros para trabalharem espiritualmente, poderiam ver que hoje a ETAD E FAETAD NAO QUALFICA TAO SOMENTE OBREIROS VOCACIONADOS AO MINISTÉRIO mas há uma grande parte desse alunos que se fosem com permissao do mec pderiam desenvolverem um papel relevante nas escolas junto a sosiedade como professores abalisados nao só no ensino secular mas também preparados na Palavra de Deus, para desenvolverem um ensino de fato religioso podendo falar amplamente sobre religioes mundiais, enfim seria um leque enorme para evangelizacao.TEMOS que ter aconciencia que hoje a etad e faetad nao é só para obreiros e sim para pessoas como eu que almeja adquirir conhecimento de Deus e sua obra e atuar neste mundo perdido transmitindo o conheciento.

IRMÃO BENE FERREIRA disse...

A PAZ DO SENHOR!
POIS É "PREZADA" ELÍZIA, ASSIM SENDO A "EETAD" E A FAETAD PODERIAM TAMBÉM DAR UMA AULINHAS DE PORTUGUÊS!!! NÃO É MESMO!!!?

Samuel Luiz disse...

O conhecimento de Deus liberta o homem. Mas a prática secular o coloca no extremo da hipocrisia.

Samuel Luiz disse...

O conhecimento de Deus liberta o homem. Mas a prática secular o coloca no extremo da hipocrisia.

ASSEMBLEIA DE DEUS DE TARILÂNDIA disse...

Quem foi liberto pelo conhecimento de Deus não é extremista e muito menos pessimista, mas tem o domínio próprio. Pr. Roberto Lopes/Tarilândia

Artesanato Amor Ágape disse...

Paz do Senhor a todos
Eu e minha família, somos 4, e não conseguimos concluir o básico em teologia.
Ficamos muito tristes pelo ocorrido, que até a presente data não teve uma solução.
O núcleo onde estudamos, foi fechado pelo pastor do local, Asembleia de Deus Vila São José - Zona Sul, sem aviso prévio e nem transferência dos alunos.
Pagamos pelo material que foram um para cada membro da família, então são 3 estudantes, acredito que mais de um ano, foi gatos um bom dinheiro, claro para um aprendizado que ninguem tira de nós.
Mas é muito triste que não possamos continuar, pois até o momento não resolveram nossa situação, que feio!

José Ailton Xavier disse...

Caso entre em contato com a EETAD via telefone é possivel mudar o seu curso de presencial para supletivo e assim você pode receber todo o material em casa e concluir o curso sem prejuizo, já que alem do livro vc terá acesso a aulas em DVD. Espero ter ajudado.

central de credito disse...

FIQUEI MUITO TRISTE E DECEPCIONADO A POIS 6 LOGOS ANO DE ESTUDO PARA CONCLUI O CURSO LIVRE DE BACHARELADO ACHO QUE A FAETADE PODERIA PENSA EM LUTA PELO RECONHECIMENTO DO MEC PODERIA EU ESTA MAIS SATISFEITO A POIS 6 LOGOS ANO DE ESTUDO FORÇADO E DESPENSAS RECEBE UM DIPLOMAR SEM RECONHECIMENTO DO MEC

Mauricio Saramago disse...

São grosserias como essas "Prezada" que afastam o crente de outros. Não precisava ser grosseiro.